-+

Automação da Força Humana de Trabalho e suas Implicações Jurídicas

Automação da Força Humana de Trabalho e suas Implicações Jurídicas
Passe o mouse e veja detalhes
10% Off

Automação da Força Humana de Trabalho e suas Implicações Jurídicas

Avaliar
  • Código: 4927
  • Referência: EM-2021-1677



Enviar
Avise-me quando estiver disponível

Sinopse: O mundo globalizado trouxe vantagens para a sociedade do século XXI, dentre elas a inovação e tecnologia; entretanto o trabalho, como meio de produção, sofreu impactos significativos nesse processo. A automação foi capaz de aumentar a produtividade e de criar novas profissões, em contrapartida houve a redução expressiva de postos de trabalho, seguida pela extinção de antigos ofícios, os quais não se adaptaram à nova realidade.
A presente obra aborda, de forma clara, com linguagem simples e objetiva, os aspectos históricos e sociológicos da evolução da força humana de trabalho, passando pelas Revoluções Industriais até chegarmos à Indústria 4.0, examinando o impacto que tal evolução trouxe ao Direito do Trabalho, responsável em manter o equilíbrio entre capital/trabalho, garantindo a proteção necessária ao novo modelo de trabalhador.
Nesse enfoque, a obra não está restrita ao especialista ou estudante de Direito, sendo também recomendada aos profissionais de outras áreas, que se interessem pelo tema.

Tópicos abordados:
- Da Globalização do Mercado de Trabalho
- Da Administração Científica do trabalho
- Da Transformação do Capital Humano em Capital Intelectual
- Da Quarta Revolução Industrial (indústria 4.0)
- Da precarização do trabalho, da função social da empresa e da busca ao pleno emprego
- Da Flexibilização do Direito do Trabalho frente às novas formas de trabalho e modelos de emprego

Autor(es): Ana Kelly de Lima Matos Natali
Edição: 1
Ano: 2021
Paginação: 90
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21
ISBN: 9786555261677

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
    E aí, vai levar?